DAEE DESTACA A IMPORTÂNCIA DA PERFURAÇÃO DO POÇO PROFUNDO

Iniciada em novembro do ano passado, as obras de perfuração do Poço Profundo já ultrapassaram a casa dos 340 metros de profundidade, dos 850 metros estimados para chegar ao Aquífero Guarani, considerado um dos maiores reservatórios de água subterrânea do planeta. Principal obra do SAAE dos últimos 40 anos, o Poço Tubular Profundo vai diminuir a dependência da captação de água de superfície, aumentando em pelo menos 50% a capacidade de abastecimento na cidade.

Na última semana os engenheiros do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), autarquia do governo do Estado, responsáveis pelo projeto de perfuração, João Carlos Polegato e Emílio Carlos Prandi estiveram no Poço acompanhando o andamento da obra e conferindo os diâmetros de perfuração. De acordo com eles, a previsão é que a partir dos 650 metros de profundidade a perfuratriz ultrapasse a camada de basalto e alcance a camada de arenito, onde já se pode começar a sentir a presença da água. “Essa é uma obra baseada em estimativas, em poços já perfurados na região. Mas o sistema adotado aqui revela que teremos um resultado de sucesso”, comentou o projetista, engº Emílio Prandi.  

Das 62 cidades que integram as bacias dos rios Aguapeí e Peixe, apenas Garça, ainda, faz a captação por superfície. A perfuração do poço tubular profundo no Aquífero Guarani, na região do Córrego do Barreiro, será uma fonte alternativa e muito importante, de abastecimento de água para a cidade. A vazão do projeto está estimada entre 150 e 200 m³/h, no entanto a previsão é que o poço profundo possa produzir até 300 metros cúbicos por hora. (Assessoria de Gabinete)

Comentários?

SAAE CONTRATA LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO

Serviço é a etapa inicial da concepção de novo sistema independente de adução de água
O Serviço Autônomo de Águas e Esgoto (SAAE) iniciou nesta segunda-feira (01/02) o levantamento topográfico planialtimétrico na Estrada Municipal – GAR 445, estrada de acesso à Estação de Captação e Recalque B1, no Córrego do Barreiro, até a Estação de Tratamento de Água. Ao todo são 4,5 quilômetros de levantamento que, por meio de projeto a ser executado, proporcionará a implantação de rede adutora, bem como estação intermediária de adução, para a condução da água que será captada no Poço Profundo, de forma que o sistema funcione de maneira independente.
O serviço topográfico, no valor de R$ 6 mil, realizado pela empresa Topengeo de Marília, vai apontar, com precisão, as condições do terreno, distâncias e diferenças de nível, proporcionando melhores condições e confiabilidade na elaboração do projeto do sistema de adução, evitando desperdícios de material e desrespeito às legislações vigentes. “O levantamento das informações topográficas da estrada para posterior adução da água é a primeira etapa do desenvolvimento do projeto do futuro sistema de adução”, explicou o Engº do SAAE, Carlos Henrique Ortolan.
Atualmente Garça conta com dois pontos de captação de água: a Estação de Captação e Recalque B1, no Córrego do Barreiro, e a Estação de Captação e Recalque B2, na Represa Cascata, que mandam água de superfície para a Estação de Tratamento. O objetivo é que a partir da perfuração do poço profundo o Município tenha como fonte de abastecimento o Aquífero Guarani com a condução da água para a rede de distribuição de forma independente.
Segundo o Diretor Executivo do SAAE, Engº André Pazzini Bomfim “essa análise é necessária para sabermos de forma detalhada as condições da estrada e fornecer o maior número possível de informações da superfície representada para efeitos de estudo, planejamento e viabilização de projetos. A partir da perfuração do poço, com conclusão prevista para o final deste semestre, teremos condições de mensurar a vazão da água para iniciarmos todo o trabalho de implantação dos sistemas de captação da água do poço, adução para o sistema e tratamento, e esse levantamento já tem que estar pronto”, ressaltou. (Assessoria de Gabinete/SAAE)
Comentários?

SAAE INVESTE EM MELHORIA NA CAPTAÇÃO DE ÁGUA

Poço profundo vai garantir segurança hídrica à cidade
para os próximos 20 anos
De olho no crescimento e nas demandas do município, o SAAE (Serviço Autônomo de Águas e Esgotos) inicia 2021 com inúmeras obras para melhorar o abastecimento de água na cidade. Entre elas, e certamente, a mais importante é a perfuração do poço tubular profundo no Aquífero Guarani, na região do Córrego do Barreiro, onde está instalada a Estação de Captação e Recalque B1. A vazão de projeto está estimada entre 150 e 200 m³/h, no entanto a previsão é que o poço profundo possa produzir até 300 metros cúbicos por hora. Nesta época do ano, a vazão média captada e aduzida pelas estações B1 e B2 se encontra em torno de 440 m³/h.
Orçada em R$ 3.449.500,00, a obra conta exclusivamente com recursos do SAAE.
Considerada a principal obra da autarquia nas últimas quatro décadas, o poço tubular profundo vai diminuir a dependência da captação de água de superfície, ou seja, dos rios e drenos, aumentando em pelo menos 50% a capacidade de abastecimento e, principalmente, vai evitar o racionamento ou falta de água em períodos de estiagem.
Segundo o Diretor Executivo do SAAE, Eng. André Pazzini Bomfim, o poço profundo no principal manancial de abastecimento da cidade vai trazer segurança hídrica para o município. “Essa obra é um divisor de águas para a autarquia e, principalmente, para o consumidor final que vai ter a garantia do abastecimento, independentemente dos períodos de estiagem. É uma obra para o presente planejada para o futuro”, afirmou.
De acordo com ele, das 62 cidades que integram as bacias dos rios Aguapeí e Peixe, apenas Garça, ainda, faz a captação por superfície. O que fragiliza o abastecimento. “Além das altas temperaturas e dos longos períodos sem chuva, a quantidade do consumo da água subiu significativamente. A cidade cresceu, o setor produtivo se desenvolveu e a água ofertada pelos córregos e represas é insuficiente para atender as demandas”, frisou.
A obra de perfuração do poço tubular profundo, pela empresa Mandaguaí Poços Artesianos de Garça, teve início em novembro do ano passado com previsão de término para o primeiro semestre de 2021. A partir daí terá início todo o trabalho de implantação dos sistemas de captação da água do poço, adução para o sistema e tratamento. “Nosso desafio é trabalhar para oferecer à cidade um alto grau de eficiência, um serviço de qualidade e segurança hídrica para os próximos 20 anos”, concluiu o Diretor Executivo do SAAE, Eng. André Pazzini Bomfim. (Assessoria de Gabinete/SAAE)
Comentários?

SAAE E PREFEITURA RETOMAM DISCUSSÕES SOBRE PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

Você já parou para pensar como a distribuição de água potável, coleta e tratamento de esgoto, drenagem urbana e coleta de resíduos sólidos impactam diretamente na saúde, na qualidade de vida e no desenvolvimento da sociedade como um todo? Parte fundamental da infraestrutura do País, compete aos municípios a prestação desses serviços que integram o saneamento básico. Até aí, nenhuma novidade, certo? Mas como isso tem sido feito, como garantir um serviço de qualidade atendendo às novas demandas e, principalmente, como garantir o acesso a todos é o grande desafio do Plano Municipal de Saneamento Básico que desde 2019 tem sido elaborado pelo SAAE, Prefeitura - por meio das secretarias de Planejamento e Desenvolvimento, de Meio Ambiente, e pela sociedade civil, em cumprimento a Lei federal nº 11.445/2007 considerada um marco regulatório para o setor de saneamento no Brasil.
A primeira reunião de 2021, para retomada das discussões, aconteceu no último dia 26, no auditório do SAAE, e contou com a presença do Diretor executivo da Autarquia, engº André Pazzini Bomfim; do diretor do departamento de Água e Esgoto do SAAE, engº José Henrique de Souza Júnior (SAAE); do coordenador de Meio Ambiente (SAAE), engº Carlos Henrique Stocco Ortolan; da engenheira da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (SAMA), Maria Ângela de Castro Panzieri; da secretária de Agricultura e Meio Ambiente (SAMA), Maria Tereza Ricci Sartori e do engenheiro da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano do município, Rodrigo Grossi Nerilo.
O descarte do lixo doméstico e hospitalar, deficiência no processo de drenagem em alguns pontos da cidade, a necessidade de ações a serem realizadas no sistema de esgoto, a integralização do Plano de Saneamento com o Plano dos Resíduos Sólidos foram alguns dos temas apontados na reunião, a partir do levantamento já realizado.
Segundo o Diretor Executivo do SAAE, engº André Pazzini Bomfim, dentro do Plano Municipal de Saneamento Básico já foi traçado um diagnóstico do saneamento básico do município, verificando as deficiências e necessidades, para a partir de agora ter início o prognóstico, ou seja, o planejamento dos objetivos e metas de curto, médio e longo prazo para as ações de acesso e melhoria dos serviços. “Todas essas informações são fundamentais, inclusive, no planejamento de futuros empreendimentos na cidade. O Plano vai dar um norte para a solução dos problemas já existentes e para os projetos que vierem a ser executados”, disse.
O Plano Municipal de Saneamento Básico é obrigatório para todas as prefeituras e atua como uma ferramenta estratégica de gestão. “Além de integrar os serviços e projetar ações de olho no crescimento e desenvolvimento das cidades, ele é quem vai dar transparência e garantir junto à União e Estado repasses de investimentos destinados ao saneamento básico, através do planejamento e controle social”, explicou. A próxima reunião será realizada no dia 23 de fevereiro, às 8h, para apresentação e discussão das demandas apresentadas nas áreas de água, esgoto, resíduos e drenagem. (Assessoria de Imprensa/SAAE)
Comentários?

ESTADO DE ALERTA DESLIGAMENTO DAS BOMBAS

O SAAE – Serviço Autônomo de Águas e Esgoto – está há um bom tempo solicitando a colaboração da população quanto ao consumo de água no dia a dia.

Atualmente a captação não está no nível normal devido às chuvas abaixo dos índices históricos verificados. 

Segundo informou Ulysses Bottino Peres, diretor-executivo do SAAE, “desde segunda-feira, dia 21 de setembro, duas das cinco bombas que enviam água para tratamento na cidade estão sendo desligadas a partir das 21 horas. Escolhemos este horário porque é após o pico de consumo. Diante desse desligamento nós vamos observar qual é o comportamento do sistema nesta situação. Tudo isso visando que não falte água durante o dia para a população”

Ulysses faz um alerta, mais uma vez: “Muita gente ainda não está observando esta questão do uso racional, e hoje nós tivemos que parar a bomba da estação B2. Isso significa que não está chegando água para ser tratada na estação de tratamento. Então, para que se evite um mal maior que seria o desligamento de bombas ou fechamento de setores durante o dia, nós queremos solicitar à população que, por favor, use água com consciência para evitar o desabastecimento devido à questão climática que enfrentamos neste momento”.

O que o SAAE está fazendo para resolver o problema? 

Para resolver o problema de vez, o SAAE já licitou e deve começar em outubro a perfuração de um poço tubular com 850 metros de profundidade que vai trazer água do aquífero Guarani para ser tratada e distribuída aos garcenses. Ulysses explica o motivo do investimento na perfuração deste poço: “Garça é uma região de nascente de rios, isto faz com que a vazão de água seja pequena, o que faz com que toda a nossa captação dependa da captação superficial que também depende da situação climática que está bem abaixo do normal desde o ano passado”.

A previsão é que a obra seja concluída até junho de 2021.

Fonte: www.garca.sp.gov.br

Comentários?
(1) 2 3 4 ... 26 »
Design by: XOOPS UI/UX Team